Girassóis e vinho tinto


05/04/2009


Balada do Capital

Jonas,bem que eu te falei:

estamos no poço

estamos um osso

duro para eles roerem.

Estão nos demitindo,Jonas.

E minha mãe preocupada

e sua mãe chorando

e a mãe dele se desespera

e a mãe dela se entorpece.

Mas estamos aqui,pilares de contruções

rodas vivas,vivas a rodar nessa ciranda

de pedra mármore cimento cinzas

de quarta-feira.

E a a semana ainda não se foi,Jonas.

Nós não somos brancos,nem temos olhos azuis

mas eles têm e se alucinam feito nós

e dançam como nós

e morrem.

Eu te falei,Jonas!

estamos todos duros

e não sabemos mais o que é fruta

e o que é caroço

não sabemos mais,não choramos mais

Jonas,vem comigo

arrumo um canto pra você no meu quartinho

ainda temos algo pra lembrar

O rio corre mais rápido,mais raso

e eu e você vivemos.

Meu amigo Jonas,velo seu corpo

antes do suicídio natural do seu ato de fumar

já morremos um pouquinho na fábrica

que não era do poema

mas era cortesia da América.

Ah,Jonas!Somos fuligem

somos folia,pó da última fumaça

cortesia industrial.

Escrito por carolina luisa às 00h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, RIO DE JANEIRO, COLEGIO, Mulher, Arte e cultura, Cinema e vídeo, música

Histórico